Ocupados com a Visão de Deustrem

 

I Tessalonicenses 5:12

E rogamo-vos, irmãos, que reconheçais os que trabalham entre vós e que presidem sobre vós no Senhor, e vos admoestam; e que os tenhais em grande estima e amor, por causa da sua obra. Tende paz entre vós. Rogamo-vos, também, irmãos, que admoesteis os insubmissos (desordeiros), consoleis os de pouco ânimo, sustenteis os fracos, e sejais pacientes para com todos. Vede que ninguém dê a outrem mal por mal, mas segui sempre o bem, tanto uns para com os outros, como para com todos. Regozijai-vos sempre. Orai sem cessar. Em tudo dai graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco. Não extingais o Espírito. Não desprezeis as profecias. Examinai tudo. Retende o bem. Abstende-vos de toda a aparência do mal. E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo, sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso SENHOR Jesus Cristo. Fiel é o que vos chama, o qual também o fará.

 

Achamos na Igreja todas essas pessoas: insubmissos, desanimados, fracos; gente que temos que ter paciência, gente que paga o mal com o mal, que só murmura, que apaga o Espírito Santo, que despreza as profecias e até mesmo despreza os profetas.

 

Se por um lado existem pessoas que, mesmo que estejam na igreja por mais tempo, são resistentes, por outro, cada pessoa nova que chega vem de incontáveis envolvimentos comprometedores de um mundo que jaz no maligno. Isso gera uma tensão dentro da Igreja, entre aqueles que trabalham e aqueles que estão acomodados, entre aqueles que estão consolidados e aqueles que precisam ser consolidados.

 

Ou somos missionários, comprometidos com a missão da visão, ou somos um campo missionário. De um lado da corda estão os comprometidos, do outro lado os insubmissos e acomodados.

 

Algumas congregações parecem uma locomotiva puxando com muita dificuldade inúmeros vagões extremamente pesados. Algumas chegam ao ponto de não terem força para arrastar tanto peso.

A produtividade de uma congregação está relacionada com o seu saldo espiritual. Quem está vencendo quem. A Igreja precisa funcionar transformando vagões pesados em locomotivas. Precisa estar dimensionada para administrar o seu crescimento, mesmo que mais peso venha, mais locomotivas estão sendo viabilizadas para que a máquina como um todo nunca perca a velocidade e a eficiência.

É exatamente por isto que a Igreja precisa de líderes que geram outros líderes, uma família que está comprometida com o princípio da paternidade espiritual.

Quem são os pais? São aqueles que geram e cuidam, aqueles que ganham, consolidam, discipulam e então enviam para que a missão seja multiplicada.

São estas pessoas que Paulo disse merecerem honra no corpo de Cristo.

 

E rogamo-vos, irmãos, que reconheçais os que trabalham entre vós e que presidem sobre vós no Senhor, e vos admoestam; e que os tenhais em grande estima e amor, por causa da sua obra.

 

A palavra que encabeça toda esta seqüência é “insubmissão”.

Rogamo-vos, também, irmãos, que admoesteis os insubmissos...

O que melhor traduz a palavra insubmisso é “desocupado”. Submisso é alguém sob uma dada missão. É aquele que está debaixo da missão de um líder que foi chamado por Deus para uma tarefa.

Fiel é o que vos chama, o qual também o fará.

Quem não se ocupa com a missão atrapalha a ordem do todo. A insubmissão sempre está relacionada com argumentos contra o princípio de autoridade onde a pessoa negligencia a missão e se sente justificada por estes argumentos. Muitos em Tessalônica caíram numa terrível cilada de satanás. Perderam o foco da missão e passaram a viver um fatalismo de não fazerem mais nada a não ser aguardarem o retorno de Cristo.

Estavam quebrando a ordem natural das coisas, e para estes Paulo disse:

 

II Tessonicenses 3 : 10

Porque, quando ainda estávamos convosco, vos mandamos isto, que, se alguém não quiser trabalhar, não coma também.

 

Existe uma seqüência aqui, que funciona como uma estratégia e um laço de satanás: DESOCUPADOS > DESANIMADOS > FRACOS, daqui em diante uma série de problemas podem se desencadear (problemas de relacionamentos, calúnias, imoralidade, hipocrisia e etc).

O fraco é sempre vulnerável para satanás tomá-lo e então prejudicar o desempenho da missão como um todo. Não tenha dúvida de que satanás trabalha de forma direcionada para remover do posto de conquista aqueles que estão posicionados na submissão.

Muitas vezes os seus argumentos parecem fazer sentido, mas não se engane, se você retroceder e se desocupar, o próximo passo será o desanimo e fatalmente se tornará numa presa vulnerável. Não saia debaixo do guarda-chuvas do seu líder, jamais abandone o seu posto.

Para entendermos o poder desta cilada, vamos investigá-la na vida de um dos homens mais bem sucedidos da bíblia, que também foi vítima desta cilada terrível.

 

II Samuel 11:1-15

E ACONTECEU que, tendo decorrido um ano, no tempo em que os reis saem à guerra, enviou Davi a Joabe, e com ele os seus servos, e a todo o Israel; e eles destruíram os filhos de Amom, e cercaram a Rabá; porém Davi ficou em Jerusalém. E aconteceu que numa tarde Davi se levantou do seu leito, e andava passeando no terraço da casa real, e viu do terraço a uma mulher que se estava lavando; e era esta mulher mui formosa à vista...

 

Este é um epsódio da vida de um dos maiores reis de Israel que não se ocupou com a missão que Deus tinha para ele. E percebemos, então, quão desastroso foi o resultado.

No tempo em que os reis saem à guerra, Davi estava ocioso no seu palácio. Essa foi a cilada de satanás para Davi: DESOCUPOU / DESANIMOU / ENFRAQUECEU.

Dessa forma ficou vulnerável à imoralidade e se tornou o hipócrita da corte. Não significa que imoralidade será a única opção de satanás. No caso, a guerra que Davi deixou de lutar era contra os filhos de “Amon”. Quem era Amon? Era o filho de um incesto, de uma filha que embriagou o Pai (Ló) e o seduziu.

Se Davi não foi até Amon, Amon veio até Davi.

O pior de tudo, é que depois que Davi estava enlaçado e encrencado, ele maquinou e agiu para encobrir o seu pecado.

Os pecados que são praticados na Igreja são mais fundamentados na omissão do que na comissão em si, ou seja, os cometemos porque omitimos fazer o que Deus nos mandou.

Achamos neste texto o diálogo de um homem comprometido com a missão versus um homem desocupado com a missão. Primeiro percebemos o poder que existe em formar um líder de caráter. Percebemos quão forte Davi era, pela qualidade de discípulo comprometido que ele formou.

Urias é um dos maiores exemplos de discípulo comprometido que podemos achar nas páginas da bíblia. Agora achamos aqui um líder que se enfraqueceu tentando convencer o seu próprio discípulo a baixar o nível de compromisso com a missão. Claro, sabemos qual era a motivação de Davi.

 

Depois disse Davi a Urias: Desce à tua casa, e lava os teus pés. E, saindo Urias da casa real, logo lhe foi mandado um presente da mesa do rei. Porém Urias se deitou à porta da casa real, com todos os servos do seu senhor; e não desceu à sua casa.

 

O seu líder o estava mandando descansar e regalar, tirar umas férias, e ele simplesmente não se rendia a isto.

Que tipo de homem era esse? Com certeza isto fez Davi lembrar quem ele era. Davi sabia que não podia vencer Urias porque conhecia muito bem a escola na qual foi formado. E o texto mostra um discípulo ocupado e comprometido com a visão dando um dos melhores sermões ao seu líder decadente e fraco:

 

E disse Urias a Davi: A arca, e Israel, e Judá ficaram em tendas; e Joabe, meu senhor, e os servos de meu SENHOR estão acampados no campo; e hei de eu entrar na minha casa, para comer e beber, e para me deitar com minha mulher? Pela tua vida, e pela vida da tua alma, não farei tal coisa.

 

Davi se introverteu tanto na sua fraqueza e no seu pecado, que decidiu matar um dos homens mais comprometidos do seu ministério. Urias não morreu porque estava num lugar perigoso da batalha. Morreu porque Davi, no seu coração retirou a sua cobertura espiritual de sobre ele.

Se estudarmos as conseqüências trágicas que isto trouxe a Davi, a sua família e ao seu reinado, vamos ficar alarmados. Em contrapartida Deus sempre honrará homens como Urias. Aqueles que são comprometidos com a missão dos seus líderes, que trabalham com dedicação e lealdade, que nunca abandonam o seu posto!

A chave que desarma essa cilada (insubmissão – desânimo – fraqueza) é reconhecer os que TRABALHAM e termos paz com os que PRESIDEM. Em outras palavras, sermos submissos de coração, fazendo como ao Senhor.

 

E rogamo-vos, irmãos, que reconheçais os que trabalham entre vós e que presidem sobre vós no Senhor, e vos admoestam; e que os tenhais em grande estima e amor, por causa da sua obra. Tende paz entre vós.

 

Não despreze nem as profecias nem os profetas que estão sobre você. E naturalmente tenha o cuidado de nunca ouvir um profeta que abandonou o seu posto!

 

Ouvi-me, ó Judá, e vós, moradores de Jerusalém: Crede no SENHOR vosso Deus, e estareis seguros; crede nos seus profetas, e prosperareis.

 

Sabe quem é o diabo?  É um querubim desempregado.

 

I Timóteo 4:14 - 15

Não desprezes o dom que há em ti, o qual te foi dado por profecia, com a imposição das mãos do presbitério. Medita estas coisas; ocupa-te nelas, para que o teu aproveitamento seja manifesto a todos. Tem cuidado de ti mesmo e da doutrina. Persevera nestas coisas; porque, fazendo isto, te salvarás, tanto a ti mesmo como aos que te ouvem.

 

Apóstolo Túlio de Souza Borges

Pastor Presidente – Ministério Internacional Ágape

Palavra ministrada em 10/04/2010 – Evento Mover Gerações Ágape