DEUS das Gerações e Gerações de Discipuladogeraoes

 

 

 

Êxodo 3:13 

Então, disse Moisés a Deus: Eis que quando vier aos filhos de Israel e lhes disser: O Deus de vossos pais me enviou a vós; e eles me disserem: Qual é o seu nome? Que lhes direi? 14  E disse Deus a Moisés: EU SOU O QUE SOU. Disse mais: Assim dirás aos filhos de Israel: EU SOU me enviou a vós. 15  E Deus disse mais a Moisés: Assim dirás aos filhos de Israel: O SENHOR, o Deus de vossos pais, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque e o Deus de Jacó, me enviou a vós; este é meu nome eternamente, e este é meu memorial de geração em geração.

 

Esta é a primeira vez que Deus diz: O meu Nome é JEOVÁ. Além disso, Deus se identifica como Deus de três gerações, O SENHOR, o Deus de vossos pais, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque e o Deus de Jacó.

 

Porque Deus se revelou a Moisés como Deus de três gerações?

 

1. Viver numa família de três gerações traz muita segurança e paz.

Envolve não somente os pais, mas também os avós. Avós adquirem sabedoria através dos erros e acertos da vida.

 

2. Assegura continuidade e proteção.

Um ditado da cultura chinesa: Um mau filho pode ser suportado, mas se este não quer te dar um outro filho, isso é difícil de suportar.

Fazer discípulos não é suficiente, temos que fazer MULTIPLICADORES, “fazedores de discípulos”. Três gerações asseguram 1000 gerações. Os valores se arraigam. Nos tornamos nação de Deus. Quando um ministério consolida as suas três gerações de discipulado ele alcança uma solidez quase que indestrutível.

 

O modelo de Paulo:

 

II Timóteo 2:2

E o que de mim, entre muitas testemunhas, ouviste, confia-o a homens fiéis, que sejam idôneos para também ensinarem os outros.

 

Paulo > Timóteo > Homens fiéis > Outros

Paulo era o Pai, Timóteo era 12 (filho), homens fiéis era a 2° geração (144, a chave da multiplicação)  e outros era a 3ª geração, os 1728. Os 144 são os 12 bem formados.

 

3. Entendemos o princípio do legado ou da herança

Os filhos entendem que precisam da promessa dos pais. Muitos filhos desprezam os pais porque não entendem este princípio. A tendência do mundo é se tornar tribal. Israel se levantou depois de 2000 anos de dispersão como nação por uma razão básica:  eram os filhos de Abraão, Isaque e Jacó. Foram reerguidos por causa da promessa feita aos pais.

 

Salmos 135:8 - 11

Lembra-se perpetuamente do seu concerto, da palavra que mandou, até milhares de gerações; do concerto que fez com Abraão e do seu juramento a Isaque,  o qual ele confirmou a Jacó por estatuto e a Israel por concerto eterno,  dizendo: A ti darei a terra de Canaã por limite da vossa herança.

 

Deus não quer que sejamos apenas filhos de Abraão, pois pode ser que sejamos um ISMAEL.

Ismael é o filho da conveniência. Trouxe problemas seríssimos para a esposa legítima de Abraão. Quando Sara foi desprezada por Hagar, Abraão foi obrigado a despedir Hagar e a criança.

 

Deus não quer que sejamos apenas filhos de Abraão e Isaque, porque poderíamos ser um Esaú.

Esaú foi a amargura dos pais e acabou trocando a primogenitura por um prato de lentilhas.

 

Gênesis 26:34

Ora, sendo Esaú da idade de quarenta anos, tomou por mulher a Judite, filha de Beeri, heteu, e a Basemate, filha de Elom, heteu. 35 E estas foram para Isaque e Rebeca uma amargura de espírito.

 

Gênesis 28:8 - 9

Vendo também Esaú que as filhas de Canaã eram más aos olhos de Isaque seu pai, foi Esaú a Ismael, e tomou para si por mulher, além das suas mulheres, a Maalate filha de Ismael, filho de Abraão, irmã de Nebaiote.

 

É necessário sermos filhos de Abraão, Isaque e Jacó.

Aqui o governo da nação foi estabelecido. Abraão concretizou a FÉ, Isaque concretizou as PROMESSAS e Jacó concretizou o GOVERNO.

 

ABRAÃO – Fé = modelo de obediência

Abraão representa o nosso legado de destino. Nosso chamado não é só caminhar com Deus. O seu grande desafio foi aprender a andar com Deus para se tornar modelo de uma geração incontável. A grande batalha de Abraão foi ter um descendente. Para Deus a grande batalha foi torná-lo modelo de obediência para a sua descendência. O que é que o Eterno queria ensinar a Abraão? OBEDIENCIA. A obediência constrói a fé, enquanto a desobediência destrói a fé. A fé não é estática, ela é dinâmica. Precisamos aprender a dar um passo de obediência após o outro. À medida que Abraão foi andando com Deus ele foi aprendendo a obedecer. Em Gênesis 12 Abrão foi parcialmente obediente. Levou consigo o Pai e o sobrinho. Obediência bíblica precisa ser completa, instantânea e com alegria. Enquanto Abraão estava com o Pai só chegou até a metade do caminho, Harã.

Toda desobediência desencadeia futuros problemas, Ló. Enquanto Ló acompanhou Abrão este não pode ver a terra prometida. O problema do pai Deus resolveu, mas o de Ló quem teve que resolver foi o próprio Abraão. Depois de uma escola de 10 capítulos, que representaram algumas décadas andando com Deus, chegamos em Gênesis 22, e achamos Abraão aperfeiçoado na obediência. Uma fé que deveria ser imitada. Aqui Abraão não era apenas o Pai de Isaque, era o Pai da fé, modelo e benção para todas as famílias da terra!

 

ISAQUE – Fé + paciência = promessas

Isaque representa o nosso deleite na herança do Pai. A sua luta foi para desfrutar da herança ou dos poços do Pai.

 

ISRAEL – ALIANÇA E GOVERNO

Jacó representa a disciplina do Espírito Santo, quebrar a carne e os jeitinhos. Aqui é necessário entrega e morte . É necessário ser quebrado por Deus, discipulado.

Israel aprendeu a pagar os votos e a honrar os termos de uma aliança

 

Gênesis 28:20 - 22 

E Jacó fez um voto, dizendo: Se Deus for comigo, e me guardar nesta viagem que faço, e me der pão para comer e vestes para vestir, e eu em paz tornar à casa de meu pai, o SENHOR será o meu Deus; e esta pedra, que tenho posto por coluna, será Casa de Deus; e, de tudo quanto me deres, certamente te darei o dízimo.

 

Jacó disse: esta será a base do meu relacionamento com Deus. Deus supre as minhas necessidades e eu devolvo a Ele o dízimo de tudo que Ele supre.  Vinte anos depois lemos o testemunho de Jacó:

 

Gênesis 32:9

Disse mais Jacó: Deus de meu pai Abraão e Deus de meu pai Isaque, ó SENHOR, que me disseste: Torna à tua terra e à tua parentela, e far-te-ei bem; 10  menor sou eu que todas as beneficências e que toda a fidelidade que tiveste com teu servo; porque com meu cajado passei este Jordão e, agora, me tornei em dois bandos.

 

Jacó tinha uma tremenda riqueza, uma família muito grande, e todas as suas necessidades tinham sido supridas. Por qual razão? Por causa dos pais. Jacó ainda não tinha honrado o que tinha votado. Deus o prosperou para que cumprisse o seu voto. Jamais teria visto o Eterno face a face para que a sua vida fosse salva se não tivesse pagado o voto. Mandou o voto pela mão das mulheres com seus respectivos filhos, e foi buscar a Deus.

 

Gênesis 32:28 

Então, disse: Não se chamará mais o teu nome Jacó, mas Israel, pois, como príncipe lutaste com Deus e com os homens e prevaleceste.

 

Todo homem de aliança é um príncipe que certamente vai gerar uma equipe que governará.

 

Apóstolo Túlio de Souza Borges

Pastor Presidente – Ministério Internacional Ágape

Palavra ministrada em 11/04/2010 - Evento Mover Gerações Ágape