Mensagem em áudio Agenda

 

1 Bem-aventurado aquele cuja transgressão é perdoada, e cujo pecado é coberto.2 Bem-aventurado o homem a quem o Senhor não imputa maldade, e em cujo espírito não há engano (cuja alma não há hipocrisia). 3 Quando eu guardei silêncio (não confessei), envelheceram os meus ossos pelo meu bramido em todo o dia. (meus ossos se definhavam e minha alma se agitava em angustia) 4 Porque de dia e de noite a tua mão pesava sobre mim; o meu humor se tornou em sequidão de estio. (minhas forças se desvaneceram como a seiva em tempo de seca) (Selá.) 5 Confessei-te o meu pecado, e a minha maldade não encobri. Dizia eu: Confessarei ao Senhor as minhas transgressões; e tu perdoaste a maldade (culpa) do meu pecado. (Selá.) 6 Por isso, todo aquele que é santo orará a ti, a tempo de te poder achar; até no transbordar de muitas águas, estas não lhe chegarão. 7 Tu és o lugar em que me escondo; tu me preservas da angústia; tu me cinges de alegres cantos de livramento. (Selá.) 8 Instruir-te-ei, e ensinar-te-ei o caminho que deves seguir; guiar-te-ei com os meus olhos. 9 Não sejais como o cavalo, nem como a mula, que não têm entendimento, cuja boca precisa de cabresto e freio para que não se cheguem a ti. 10 O ímpio tem muitas dores, mas àquele que confia no Senhor a misericórdia o cercará. 11 Alegrai-vos no Senhor, e regozijai-vos, vós os justos; e cantai alegremente (gritem de alegria), todos vós que sois retos de coração. Salmos 32:1-11

·      Dai Gritos de alegria!  O que provocaria alguém dar gritos de alegria?

·      Talvez vivemos poucas oportunidades em toda a nossa vida onde fomos impelidos a simplesmente gritar de alegria. Talvez você esteja pensando em alguém que acabou de ganhar na loteria, ou alguém que o seu time de futebol acabou de ser campeão...  Mas estas não eram as razões de Davi.

·      Vale a pena entender as razões de Davi, porque elas podem perfeitamente se tornarem a sua razão para também gritar de alegria. Na verdade Davi estava falando dos nossos dias. Ele estava falando de pessoas que assumiram em Deus uma identidade de justos e retos de coração.

11 Alegrai-vos no Senhor, e regozijai-vos, vós os justos; e cantai alto e alegremente (gritem de alegria), todos vós que sois retos de coração.

·      Fica muito claro no texto que não era mérito deles mesmos, não era proveniente de uma justiça própria, mas da justiça de DEUS. Este texto é tão apropriado para enfatizar a justiça de DEUS, que Paulo o citou quando estava explicando o assunto aos Romanos.

Ora, àquele que faz qualquer obra não lhe é imputado o galardão segundo a graça, mas segundo a dívida.Mas, àquele que não pratica, mas crê naquele que justifica o ímpio, a sua fé lhe é imputada como justiça. Assim também Davi declara bem-aventurado o homem a quem Deus imputa a justiça sem as obras, dizendo: Bem-aventurados aqueles cujas maldades são perdoadas, E cujos pecados são cobertos. Bem-aventurado o homem a quem o Senhor não imputa o pecado. Romanos 4:4-8

1.    Davi entendeu a justiça de Deus pela fé no Messias

·      Percebemos no salmo, que antes de Davi dar gritos de alegria, ele experimentou uma depressão profunda.

... meus ossos se definhavam e minha alma se agitava em angustia ...

·      Naturalmente isto estava relacionado a uma forma errada de ver a DEUS e a sua justiça. Uma forma errada de ver a provisão de Deus para a fraqueza e pecado humano. Na verdade, neste salmo Davi estava celebrando a libertação de uma mentalidade de justiça própria.

·      O que significa “guardar silencio ou encobrir a maldade”? Davi procurou justificar os seus pecados ou fazer algo para compensa-los.

·      Alguns estudiosos dizem que este salmo é uma continuação do salmo 51. No caso de Bate-Seba isto durou por praticamente um ano. Davi se tornou no hipócrita da corte.

·      Somos escravos da ideia de que, se alguém perceber os nossos defeitos e fraquezas, deixará de nos amar. Embora isto possa ser verdade nos relacionamentos humanos, DEUS não é assim. Ex: mulher samaritana.

·      Todo esforço pessoal para resolver os nossos pecados fundamentam uma justiça própria, que acumula uma divida cada vez maior. Falsas soluções, falsos confortos e um buraco cada vez maior.

Ora, àquele que faz qualquer obra não lhe é imputado o galardão segundo a graça, mas segundo a dívida.

·      Quanto mais remenda mais deve. Quando não entendemos a justiça de Deus, desenvolvemos uma mentalidade de culpa, condenação e por fim depressão.

4 Porque de dia e de noite a tua mão pesava sobre mim; o meu humor se tornou em sequidão de estio.

·      A maneira de ser conduzido aqui é pela consciência de castigo, e a motivação de obedecer é pelo medo do castigo.

9  Não sejais como o cavalo, nem como a mula, que não têm entendimento, cuja boca precisa de cabresto e freio para que não se cheguem a ti.

·      A condenação é uma raiz ruim que acaba nutrindo muitos hábitos pecaminosos, medos, vícios como uma forma de auto-punição. Quando encobrimos os nossos pecados, nós os assumimos. Quando confessamos a Cristo os nossos pecados, nós os transferimos para ELE.

·      Davi descobriu a Justiça de Deus, e se deliciou nas riquezas insondáveis da sua graça. Como Deus poderia nos perdoar e continuar sendo Justo? Deus enviou o seu filho para ser punido pelos nossos pecados!

Visto que a Justiça de Deus se revela no evangelho, uma justiça que do principio ao fim é pela fé, como está escrito: O justo vivera pela fé. Rom 1:17

·      Quando confessamos os nossos pecados a Cristo, fazemos dele o nosso salvador. Só JESUS está qualificado para ser o nosso Salvador, não há absolutamente nenhum outro! Ele é a oferta perfeita para cobrir os nossos pecados.

·      Quando confessamos os nossos pecados a Cristo, renunciamos a nossa própria justiça e ativamos a justiça DELE. Quando confessamos os nossos pecados a CRISTO, transferimos para ELE os nossos pecados, e em resposta ... ELE não só perdoa os nossos pecados, ELE transfere a nós a sua justiça como um dom.

Rom 5:17 Porque, se pela ofensa de um só, a morte reinou por esse, muito mais os que recebem a abundância da graça, e do dom da justiça, reinarão em vida por um só, Jesus Cristo.

·      Aqui consolidamos a identidade de filhos, e justos.

Alegrai-vos no Senhor, e regozijai-vos, vós os justos;

·      Somos perdoados e justificados simplesmente porque cremos em JESUS, na sua obra consumada. Os que viveram antes de Cristo, alcançaram justificação pela fé olhando para frente, para o Messias prometido que um dia viria. Para estes, todos os ensinamentos e profecias sobre o Messias era apenas uma sombra, mas era o suficiente para crerem e serem justificados. Como foi o caso aqui de Davi. Quando ativou a justiça de Deus, experimentou a certeza e a paz do perdão.

5 Confessei-te o meu pecado, e a minha maldade não encobri. Dizia eu: Confessarei ao Senhor as minhas transgressões; e tu perdoaste a maldade do meu pecado. (Selá.)

·      Mas para nós que vivemos depois de CRISTO, o evangelho não é sombra, é plena realidade. Se Davi experimentou tal libertação e alegria, muito mais você hoje. Há uma segunda razão pela qual Davi gritava de alegria na presença de DEUS...

 

2.    Comunhão com o Espirito Santo, livre de qualquer culpa ou condenação.

6 Por isso, todo aquele que é santo (tem fé) orará a ti, a tempo de te poder achar (no tempo de achar favor); até no transbordar de muitas águas, estas não lhe chegarão.7 Tu és o lugar em que me escondo (abrigo seguro); tu me preservas da angústia; tu me cinges de alegres cantos de livramento (com cânticos de salvação me envolves). (Selá.) 8 Instruir-te-ei, e ensinar-te-ei o caminho que deves seguir; guiar-te-ei com os meus olhos (os meus olhos estarão sobre ti para aconselhar-te). 9 Não sejais como o cavalo, nem como a mula, que não têm entendimento, cuja boca precisa de cabresto e freio para que não se cheguem a ti.

·      Uma vez justificado pela fé em Cristo, Davi descobriu um lugar seguro, onde somos envolvidos com cânticos de livramento ou salvação. Um lugar de gratidão, louvor e adoração. Um lugar onde a angustia não tem mais acesso, um lugar onde somos ensinados, guiados e aconselhados pelo Espirito Santo.

·      O perdão de Deus nos dá acesso a união e comunhão com ELE. Quando aprendemos a receber de nosso espírito, aprendemos como ser guiados pelo Espírito. Quando somos receptivos ao Espírito Santo em nosso interior, aprendemos como operar pela fé.  “Pela fé entendemos” (Hebreus 11.3). Os nossos ouvidos e olhos espirituais serão abertos!

·      “A fé vem pelo ouvir” (Rom 10.17), não por ter ouvido falar. É ouvir o coração, no tempo presente. Toda a natureza da fé implica um relacionamento atual com Deus. A ênfase está em ouvir — agora!

·       Sempre a nossa boca vai determinar a nossa direção.

... cuja boca precisa de cabresto e freio ...

·      Quando estamos na condição da nossa própria justiça, experimentamos culpa, condenação e angustia. Como é que o diabo guia alguém que quer se estabelecer pela própria justiça? Pela boca.

E te deixaste enredar pelas próprias palavras; e te prendeste nas palavras da tua boca;Pv 6:2

·      É como um animal de carga, que não tem entendimento e que leva o peso... Alguns cabrestos tapam parte da visão, manipulando e forçando a direção.

·      Mas quando estamos na condição que a Justiça de Deus nos proporciona teremos acesso a direção correta e segura. O principio pelo qual ganhamos os olhos de Deus para nos aconselhar também vem da boca. O resultado da salvação é a nossa união e comunhão com o Espirito Santo, e a primeira coisa que Ele quer nos ensinar é a orar.

... Não sabemos orar como convém... Ele nos ajuda nas fraquezas...

·      Da oração no Espirito Santo vira a instrução, o ensino e um tipo de conselho como se o próprio Deus nos desse os seus olhos para ver através deles. O coração que não vê é um coração endurecido, que tem uma visão torcida da justiça. Jesus se referiu aqueles que confiavam na própria justiça:

Hipócritas, sabeis discernir a face da terra e do céu; como não sabeis então discernir este tempo?E por que não julgais também por vós mesmos o que é justo? Lc 12:56

·      Nossa experiência de nascer de novo nos capacita a ver do coração ( Jo 3:3, Nicodemos) e, assim, aplicar o que vemos com fé constante. A fé vê. Ela focaliza o Reino. Temos, pela fé, acesso a todos os recursos do Pai e a todos seus benefícios.

·      Somos justos, somos filhos, somos herdeiros! A nossa conta está paga e ainda fomos henriquecidos com a herança inesgotável do nosso irmão mais velho. Não pode haver alegria maior... 

No Amor Agape,

Ap Tulio de Souza Borges