Renascer

“Eu sou a ressurreição e a vida: quem crê em mim, ainda que morra, viverá; e todo aquele que vive, e crê em mim, jamais morrerá. Crês isto?" João 11:25-26

 

O Evangelho do Reino é uma mensagem de amor, de graça, de misericórdia e de salvação da parte de Deus, que nos chama para o ARREPENDIMENTO, a FÉ, e a ESPERANÇA em, Jesus[2] de Nazaré, o Messias[3], pelo qual recebemos uma nova vida de paz, justiça e alegria no Espírito Santo que se manifesta desde a nossa conversão e se manifestará plenamente na RESSURREIÇÃO.

 

Este Evangelho do Reino não foi escrito por mãos humanas, e nem registrado por meio de papel e tinta. Ele foi escrito pela vida de Jesus e registrado com os pregos cravados em suas mãos na cruz do Calvário[4] e com o Seu sangue que foi derramado na Terra como preço de remissão dos nossos pecados.

 

Ninguém anunciou melhor este Evangelho do que o próprio Jesus quando declarou: “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o Seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna”.(João 3:16)

Deus (o maior ser; o criador; o Pai); amou (o maior sentimento); o mundo (o maio alcance); de tal maneira (a maior intensidade); que deu (o maior gesto); Seu Filho Unigênito (o melhor presente); para que todo aquele (o maior número); que nele crê (a maior virtude); não pereça (o maior livramento); mas tenha a vida eterna (a maior benção).

 

O que faz alguém crer neste Evangelho? Como poderá alguém em pleno século XXI crer em algo anunciado a mais de dois mil anos? Será a ignorância? Será por causa da força da religião? Será a mente inocente e despreparada? Será a falta de algo melhor para se crer?  Ou será pela comprovação da Ciência que tudo explica e atesta como verdade ou mentira?

Não! Nenhuma destas coisas jamais levou ou levará alguém a crer no Evangelho do Reino. Afinal, a ignorância é sinônimo de trevas; a religião é uma invenção do homem; a mente inocente e despreparada tem pensamentos inconstantes; no cardápio da fé há muitas outras opções mais atrativas; e a Ciência está tão longe do propósito original de revelar a glória de Deus na criação que se tornou um veneno contra o Evangelho e tudo o que se relacione a Deus.

Crer no Evangelho do Reino é uma obra que somente o Espírito Santo pode fazer na vida de quem, sincera e humildemente, deseja conhecer a Deus, a Sua Palavra e busca com zelo a Verdade.

Mesmo assim, há muitos crentes que se confundem. Como os saduceus[5] que eram zelosos na Lei de Moisés, mas não criam na ressurreição. Mas Jesus os corrigiu dizendo: “Errais por não conhecer as Escrituras e nem o poder de Deus” (Mateus 22:29).

 

Em nossos dias, há muitas pessoas que se dizem cristãs, mas agem como os saduceus: questionam e duvidam de alguns ensinamentos da Bíblia. São pessoas enganadas em sua sabedoria humana que consideram exageradas ou loucura algumas doutrinas bíblicas, como o caso da ressurreição. Mas a resposta de Jesus aos saduceus deve ser entendida como uma repreensão e um alerta: a falta de conhecimento das Escrituras e a falta de experiência com o poder de Deus impedem o crescimento da fé e a revelação dos mistérios de Deus.

Um exemplo prático: Quem se diz cristão, mas tem medo da morte, tem medo de morrer, tem pânico diante de tudo que possa ameaçar a sua vida, precisa se perguntar: - O que tenho feito com a minha fé e a minha vida com Deus? Por que não tenho certeza da minha salvação em Cristo Jesus?

 

Devemos agir na mesma fé do apóstolo Paulo que disse: “Porque para mim o viver é Cristo, e o morrer é lucro”.(Filipenses 1:21)

Jesus anunciou para Marta: “Eu sou a ressurreição e a vida: quem crê em mim, ainda que morra, viverá; e todo aquele que vive, e crê em mim, jamais morrerá. Crês isto (João 11:25-26)”. Lázaro, o irmão de Marta, estava morto havia quatro dias. Ela estava triste pela morte do irmão, mas não estava desesperada porque tinha fé na ressurreição pelo que disse a Jesus: “Sei que ele há de ressurgir na ressurreição, no último dia”. (João 11:24). A ressurreição faz parte do Evangelho do Reino e é a essência da esperança de quem crê em Jesus.

 

O Evangelho que se prega em nossos dias enfatiza o ensino da prosperidade, do bem-estar social e econômico, da cura e da libertação para desfrutarmos uma vida melhor ainda neste mundo. Mas é preciso ensinar também sobre a ressurreição porque ela nos faz lembrar que o melhor de Deus ainda está por vir. E só através da ressurreição seremos glorificados no Senhor e veremos o fim da corrupção, do domínio do pecado, das doenças e do mal em nossas vidas. Este é o Evangelho completo.

 

A doutrina da ressurreição é tão importante como rudimento da fé que o autor de Hebreus cita-a no início da carta, e o apóstolo Paulo reservou uma parte da 1ª Carta aos Coríntios para esclarecê-la.

 

Jesus veio na plenitude dos tempos como o Deus que se fez homem para nos comunicar o amor do Pai Celeste e nos levar para a vida eterna por meio da ressurreição (João 5:28-29; 6:38-40; At 24:15). Ele é a expressão do amor e do poder de Deus para a nossa salvação. Ele enviou o Espírito Santo para nos selar para o dia ressurreição.

 

A ressurreição não é um privilégio somente dos justos e crentes no Senhor Jesus. A Bíblia nos ensina que todos irão ressuscitar, justos e injustos (Daniel 12:2). Mas os justos ressucitarão para a vida eterna com Deus, e os injustos para a morte eterna.

 

A Bíblia também nos ensina sobre duas ressurreições: a primeira ressurreição será de um grupo especial de crentes que se ajuntará ao Senhor Jesus na sua volta para o reinado de mil anos na terra (Ap 20:5-6). A última ressurreição será de todos os mortos para o juízo final (Ap 20:11-15).

 

Jesus se revelou a Marta como a ressurreição e a vida e perguntou se ela cria nisto. A resposta dela foi: Sim, Senhor, eu creio que tu és o Cristo, o Filho de Deus, que havia de vir ao mundo (João 11:27).

E você? Crês isto?[6]

 

Pastor Juliano Gomes Cunha [1]

Palavra ministrada em 24/04/2011.



[1] Pastor Auxiliar da Igreja Apostólica Ágape de Belo Horizonte, MG e Administrador de Empresas especializado em Gestão de Marketing.

[2] Yeshua é nome original de Jesus na língua hebraica e seu significado é Salvador ou Deus que salva. Jesus é uma corrupção deste nome, pois seu siginificado é Zeus = Deus e passou a ser usado após a paganização do cristianismo a partir do século V. Continuarei usando este nome apenas para não confundir o leitor menos acostumado.

[3] Messias é a palavra portuguesa para Mashiah, termo hebraico que significa ungido. A palavra Cristo tem o mesmo sentido porém é de origem grega.

[4] Monte de Jerusalém conhecido também como Gólgota que significa Caveira por causa da semelhança com o crânio humano. É o lugar no qual Jesus foi crucificado.

[5] Partido de judeus formado por sacerdotes aristocráticos e homens ricos e de posição com sede no Templo em Jerusalém. Aceitavam a influência mundana, a cultura grega e a política romana. Reconheciam a Lei escrita e rejeitavam as tradições dos escribas. Desprezavam a esperança messiânica e a doutrina da ressurreição (At 23:8).

[6] Envie seus comentários e dúvidas sobre esta ministração para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.