Coroa

O Tabernáculo de Davi

Até Samuel, Deus reinava sobre o povo!

 

I Samuel 8:5 - 7

E disseram-lhe: Eis que já estás velho, e teus filhos não andam pelos teus caminhos; constitui-nos, pois, agora um rei sobre nós, para que ele nos julgue, como o têm todas as nações. Porém esta palavra pareceu mal aos olhos de Samuel, quando disseram: Dá-nos um rei, para que nos julgue. E Samuel orou ao SENHOR. E disse o SENHOR a Samuel: Ouve a voz do povo em tudo quanto te dizem, pois não te têm rejeitado a ti, antes a mim me têm rejeitado, para eu não reinar sobre eles.

 

Atrás destas palavras Israel não queria mais que Deus fosse Rei sobre eles. Essa rejeição sempre passa pelo sacerdote também.

 

I Samuel 12:12

E vendo vós que Naás, rei dos filhos de Amom, vinha contra vós, me dissestes: Não, mas reinará sobre nós um rei; sendo, porém, o SENHOR vosso Deus, o vosso rei.

 

O Reino de Deus é uma chamada ao sacerdócio e à intimidade. Saul é então ungido Rei sobre Israel tendo como modelo os reis das nações. Aqui o modelo se perde! Mais tarde é rejeitado por Deus porque Deus achou alguém melhor.

 

I Samuel 15:22

Porém Samuel disse: Tem porventura o SENHOR tanto prazer em holocaustos e sacrifícios, como em que se obedeça à palavra do SENHOR? Eis que o obedecer é melhor do que o sacrificar; e o atender melhor é do que a gordura de carneiros. Porque a rebelião é como o pecado de feitiçaria, e o porfiar é como iniqüidade e idolatria. Porquanto tu rejeitaste a palavra do SENHOR, ele também te rejeitou a ti, para que não sejas rei (...). Então Samuel lhe disse: O SENHOR tem rasgado de ti hoje o reino de Israel, e o tem dado ao teu próximo, melhor do que tu.


O modelo de Deus para o governo na terra não deveria ser o modelo das nações, mas o modelo do céu. Deus então acha a Davi.

Pois ali estão os tronos do juízo, os tronos da casa de Davi.

 

Salmos 89:20 - 21

Achei a Davi, meu servo; com santo óleo o ungi. Com o qual a minha mão ficará firme, e o meu braço o fortalecerá.

 

O que fazia de Davi alguém tão especial para Deus?

Atos 13:21 - 22

E depois pediram um rei, e Deus lhes deu por quarenta anos, a Saul filho de Quis, homem da tribo de Benjamim. E, quando este foi retirado, levantou-lhes como rei a Davi, ao qual também deu testemunho, e disse: Achei a Davi, filho de Jessé, homem conforme o meu coração, que executará toda a minha vontade.



A razão pela qual Deus escolheu a Davi era para ter o Reino de volta. O Reino de Deus é qualquer lugar a partir do coração humano onde a vontade de Deus é feita. Davi faria toda a vontade de Deus. DAVI ELEITO SIGNIFICAVA DEUS GOVERNANDO!

 

Atos 15:16

Depois disto voltarei, E reedificarei o tabernáculo de Davi, que está caído, Levantá-lo-ei das suas ruínas, E tornarei a edificá-lo.

 

Por causa disto Deus associou a Davi a promessa do Messias. Deus quer contar com homens que irão estabelecer o reino de Deus na terra. Por isso Jesus pregou "Arrependam-se, o Reino de Deus chegou!".

 

Marcos 1:14 - 15

E, depois que João foi entregue à prisão, veio Jesus para a Galiléia, pregando o evangelho do reino de Deus, e dizendo: O tempo está cumprido, e o reino de Deus está próximo. Arrependei-vos, e crede no evangelho.

 

Mateus 6:33

Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.

 

O Tabernáculo de Moisés

 

Deuteronômio 33:4 - 5

Moisés nos deu a lei, como herança da congregação de Jacó. E o Senhor se tornou Rei ao seu povo amado (Jesurum), quando se congregaram os cabeças do povo com as tribos de Israel.



Quando é que Deus é santificado como Rei na vida do seu povo?



A Palavra é a nossa herança e a nossa herança está na Palavra;

Quando os valores, as promessas e as convocações da Palavra nos trazem para o mesmo lugar e nos fazem um só no Senhor!

Como e com quem Deus compartilha a sua autoridade de REI?

 

Salmos 122:1ALEGREI-ME quando me disseram: Vamos à casa do SENHOR. Os nossos pés estão dentro das tuas portas, ó Jerusalém. Jerusalém está edificada como uma cidade que é compacta. Onde sobem as tribos, as tribos do SENHOR, até ao testemunho de Israel, para darem graças ao nome do SENHOR. Pois ali estão os tronos do juízo, os tronos da casa de Davi. Orai pela paz de Jerusalém; prosperarão aqueles que te amam. Haja paz dentro de teus muros, e prosperidade dentro dos teus palácios. Por causa dos meus irmãos e amigos, direi: Paz esteja em ti. Por causa da casa do SENHOR nosso Deus, buscarei o teu bem.

 

O PRINCÍPIO DO ENCONTROAlegrei-me quando me disseram: Vamos à Casa do Senhor!

 

O que é a casa do Senhor? É quando os Seus filhos se ajuntam ou congregam para adorá-lo!

Desde a criação estes encontros marcados já foram pré-estabelecidos.

 

Gênesis 1:14

E disse Deus: Haja luminares na expansão dos céus, para haver separação entre o dia e a noite; e sejam eles para sinais e para tempos determinados (estações) e para dias e anos.



Estações = MOED; Plural de MOED = MOADIM (Festas)

 

Gênesis 3:8

Quando ouviram a voz do Senhor Deus, que andava no jardim pela viração do dia.



No inicio de cada dia Deus se encontrava com o homem. Mesmo depois da sua queda, Deus estabeleceu um encontro marcado para a primeira família.

 

Gênesis 4:1

Coabitou o homem com Eva, sua mulher. Esta concebeu e deu à luz a Caim; então, disse: Adquiri um varão com o auxílio do Senhor. Depois, deu à luz a Abel, seu irmão. Abel foi pastor de ovelhas, e Caim, lavrador. Aconteceu que no fim de uns tempostrouxe Caim do fruto da terra uma oferta ao Senhor. Abel, por sua vez, trouxe das primícias do seu rebanho e da gordura deste. Agradou-se o Senhor de Abel e de sua oferta; ao passo que de Caim e de sua oferta não se agradou.(grifo nosso)

 

No fim de uns tempos – Isso quer dizer: quando um ciclo se fecha e abre-se um novo tempo. Este é um tempo de se apresentar diante de Deus, diante dos seus sacerdotes. É um tempo de adorar, trazer os tributos e receber uma benção específica. Este é um tempo quando somos avaliados por Deus, e para recebermos a sua benção temos que acertar a nossa atitude e a nossa motivação. É um tempo de refletirmos sobre como estamos vivendo e quais são os nossos valores.

 

Êxodo 5:1

E, depois, foram Moisés e Arão e disseram a Faraó: Assim diz o Senhor, Deus de Israel: Deixa ir o meu povo, para que me celebre uma festa no deserto.

 

No Egito não haviam encontros marcados com Deus, não havia celebração. A falta deste contato com Deus gerou uma mentalidade de escravidão e pobresa. Aqui não tem encontro, não tem sacerdócio, não tem tributos, não tem revelação, não tem prosperidade. Deus estava saudoso do seu povo reunido para adorá-lo.

 

Esta foi a mensagem que Deus deu para Moisés entregar a Faraó: "Deixa ir o meu povo, para que me celebre uma festa no deserto".

A partir daí todo o mover redentivo de Deus para Israel foi através das festas. As festas representam um encontro marcado com Deus, com hora e local.

 

Levítico 23:4 - 16

São estas as festas fixas do Senhor, as santas convocações, que proclamareis no seu tempo determinado: no mês primeiro, aos catorze do mês, no crepúsculo da tarde, é a Páscoa do Senhor. E aos quinze dias deste mês é a Festa dos Pães Asmos do Senhor; sete dias comereis pães asmos. No primeiro dia, tereis santa convocação; nenhuma obra servil fareis; mas sete dias oferecereis oferta queimada ao Senhor; ao sétimo dia, haverá santa convocação; nenhuma obra servil fareis. Disse mais o Senhor a Moisés: Fala aos filhos de Israel e dize-lhes: Quando entrardes na terra, que vos dou, e segardes a sua messe, então, trareis um molho das primícias da vossa messe ao sacerdote; este moverá o molho perante o Senhor, para que sejais aceitos; no dia imediato ao sábado, o sacerdote o moverá. No dia em que moverdes o molho, oferecereis um cordeiro sem defeito, de um ano, em holocausto ao Senhor. A sua oferta de manjares serão duas dízimas de um efa de flor de farinha, amassada com azeite, para oferta queimada de aroma agradável ao Senhor, e a sua libação será de vinho, a quarta parte de um him. Não comereis pão, nem trigo torrado, nem espigas verdes, até ao dia em que trouxerdes a oferta ao vosso Deus; é estatuto perpétuo por vossas gerações, em todas as vossas moradas. Contareis para vós outros desde o dia imediato ao sábado, desde o dia em que trouxerdes o molho da oferta movida; sete semanas inteiras serão. Até ao dia imediato ao sétimo sábado, contareis cinqüenta dias; então, trareis nova oferta de manjares ao Senhor.

 

Esta é uma reunião organizada com um propósito de ajuntar toda uma nação. Por que? Porque o Eterno quer ser santificado como Rei no meio do seu povo!

 

Quando alguém sadio ouve uma convocação como esta, a primeira coisa que ele diz é: ALEGREI-ME quando me disseram: Vamos à casa do SENHOR!

 

Encontramos uma ordem e uma convocação de Deus para que o seu povo venha em unidade a um mesmo lugar que se torna espiritualmente muito poderoso, um lugar onde tronos estão estabelecidos, tronos de juizo. Esta é uma convocação de Deus, uma ordem de Deus. Os nossos pés precisam estar do lado de dentro, na geografia e no propósito que o Eterno estabeleceu.

 

O povo de Deus está comissionado para representar o governo de Deus no mundo de hoje, para se assentar com Ele nestes tronos de julgamento e governar as nações em  favor dos céus. A única maneira pela qual o povo de Deus pode estar corretamente posicionado nestes tronos é quando comparecemos juntos, em unidade, para adorar o mesmo Rei e Senhor. Estar reunidos no mesmo lugar, com o mesmo propósito, debaixo da mesma convocação nos assegura que comparecemos para adorar o mesmo Rei.

 

Este é o grande sonho de Deus, ajuntar uma multidão de todas as tribos, linguas e nações e ser santificado como Rei e Senhor sobre elas. Só Ele é digno! Quando nos ajuntamos em unidade produzimos um testemunho que agrada a Deus.

 

Por que então as convocações são importantes? Por que o princípio congregacional é tão importante? Porque quando nos esquivamos dele possivelmente estamos devotados a um outro deus. No minimo estamos divididos, minados.

 

I João 1:7

Mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo o pecado.



Só a unidade nos faz inteiros como congreção e também como individuos em termos de coração e compromisso. Sendo assim o exercício da nossa autoridade como povo de Deus depende da unidade. A medida que permanecemos separados, ou que ficamos à parte do todo, na nossa pequena tribo, no nosso parcial ajuntamento, na nossa mentalidade exclusivista e limitada, sem nos ajuntarmos com o todo, nós não podemos exercitar a nossa autoridade como Deus determinou para assim fazermos. A autoridade depende de congregarmos, de fazer parte do ajuntamento.

 

Quando de coração comparecemos, congregamos e fazemos parte do ajuntamento, testificamos que coletivamente adoramos o mesmo Deus, o mesmo Messias. Esse é o testemunho que nos dá direiro de assumir o nosso lugar com Deus sobre os tronos de julgamento, e usar o cajado de autoridade em favor dos interesses do Reino de Deus.

 

Mas, entenda, apenas quando nos ajuntamos em unidade. Por isso é tão importante orar pela paz da nossa Jerusalém. Então, entendemos que Deus quer levantar na terra um povo remido, que se move em unidade para exercitar a sua autoridade, de maneira que Deus possa ser santificado como Rei, e que o seu Reino se manifeste na terra dos homens.

 

Apocalipse 11:15

E o sétimo anjo tocou a sua trombeta, e houve no céu grandes vozes, que diziam: Os reinos do mundo vieram a ser de nosso SENHOR e do seu Cristo, e ele reinará para todo o sempre.

 

Apóstolo Túlio de Souza Borges

Ministério Internacional Ágape

 

Palavra ministrada em 13/03/2011