Vivos Demaisvivodemais

Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional”. Romanos 12:1

E, ouvindo isto, um dos que estavam com ele à mesa, disse-lhe: Bem-aventurado o que comer pão no reino de Deus. Porém ele lhe disse: Um certo homem fez uma grande ceia, e convidou a muitos. E, à hora da ceia, mandou o seu servo dizer aos convidados: Vinde, que já tudo está preparado. E todos, à uma, começaram a escusar-se. Disse-lhe o primeiro: Comprei um campo, e importa ir vê-lo; rogo-te que me hajas por escusado.

E outro disse: Comprei cinco juntas de bois, e vou experimentá-los; rogo-te que me hajas por escusado.

E outro disse: Casei, e portanto não posso ir.

E, voltando aquele servo, anunciou estas coisas ao seu senhor. Então o pai de família, indignado, disse ao seu servo: Sai depressa pelas ruas e bairros da cidade, e traze aqui os pobres, e aleijados, e mancos e cegos.

E disse o servo: Senhor, feito está como mandaste; e ainda há lugar. E disse o senhor ao servo: Sai pelos caminhos e valados, e força-os a entrar, para que a minha casa se encha. Porque eu vos digo que nenhum daqueles varões, que foram convidados, provará a minha ceia”. Lucas 14:15-24

Rogar = Implorar

Havia um clamor no coração do apóstolo Paulo: Eu imploro, irmãos... Sacrifiquem-se!

Mas nos irmãos “convidados” à ceia havia outro clamor: Eu imploro, me libere...

 

Rogo X Rogo

 

Primeiro Rogo

É o apelo que vem do coração de Deus

Segundo Rogo

É o apelo que vem do coração do homem

 

Primeiro Rogo

Deus está nos dizendo: Faça a minha vontade

Segundo Rogo

O homem diz: Deixa eu fazer a minha...

 

Primeiro Rogo

Nós somos o sacrifício

Segundo Rogo

Sacrificamos o reino de Deus

 

Primeiro Rogo

Fazemos um culto racional a Deus

Segundo Rogo

Ficamos “irracionais”. Só prevalece o nosso sentimento.

 

Primeiro Rogo

Damos ouvidos ao nosso espírito.

Segundo Rogo

Damos vazão à nossa carne.

 

Primeiro Rogo

É como se ouvíssemos: “Negue-se a si mesmo” e “Se apresente como um sacrifício”.

Aqui a prioridade na nossa vida está clara = Deus.

Segundo Rogo

Negamos a vontade do Rei.

Prioridade claríssima = Nossas coisas.

 

Primeiro Rogo

Deus diz: Você pode

Segundo Rogo

“Eu até poderia... Mas não estou afim”.

 

Como diz o autor do livro “As cinco linguagens do amor”, Gary Chapmam:

“Não há diferenças irreconciliáveis, apenas pessoas que se recusam a se reconciliar”

 

Podemos parafrasear:

“Não há sacrifícios impossíveis para fazermos a Deus, apenas corações duros”

 

O “Rogo” que vem dos homens traz conseqüências:

Eles perderam a ceia.

Jesus disse: “Não provarão a minha ceia”

1 - Salvação

Pessoas estão perdendo até a salvação pelos prazeres transitórios da vida. Ou, muitas vezes, por causa do nosso ego, da nossa vontade, pessoas estão indo para o inferno bem ao nosso lado. Ficamos insensíveis.

 

2 - Comunhão com Deus

Deus está te chamando para cear e você está priorizando outras coisas. Deus quer se aproximar de você, mas seu ativismo (ou os vícios / lazer) está te fazendo se afastar Dele.

 

Outra conseqüência do “rogo-te” dos homens:

Você pode perder seu lugar. O rei mandou chamar aqueles que nem deveriam estar ali (pela lógica).

“Muitos são chamados, poucos escolhidos.”

 

Atenção:

A atitude daqueles que tem este “rogo” no coração é enganosa, pois eles não as identificam como pecado. Comprar um campo, adquirir uma junta de bois ou se casar não é pecado.

O problema é quando estas coisas tomam o lugar de Deus e se tornam nossas desculpas para não mais O priorizarmos.

 

Nosso problema é que não assimilamos a morte de Jesus prá nós mesmos... Estamos vivos demais.

 

O exemplo de Pedro

Texto de João 21

Os discípulos estavam com a mesma vidinha após o chamado. Pedro ainda era imaturo.

 

“DEPOIS disto, manifestou-se Jesus, outra vez, aos discípulos, junto do mar de Tiberíades; e manifestou-se assim; Estavam juntos Simão Pedro, e Tomé, chamado Dídimo, e Natanael, que era de Caná da Galileia, os filhos de Zebedeu, e outros dois dos seus discípulos. Disse-lhes Simão Pedro: Vou pescar. Disseram-lhe eles: Também nós vamos contigo. Foram, e subiram logo para o barco, e naquela noite nada apanharam. E, sendo já manhã, Jesus se apresentou na praia, mas os discípulos não conheceram que era Jesus. Disse-lhes, pois, Jesus: Filhos, tendes alguma coisa de comer? Responderam-lhe: Não. E ele lhes disse: Lançai a rede para a banda direita do barco, e achareis. Lançaram-na, pois, e já não a podiam tirar, pela multidão dos peixes. Então, aquele discípulo a quem Jesus amava disse a Pedro: É o Senhor. E, quando Simão Pedro ouviu que era o Senhor, cingiu-se com a túnica (porque estava nu) e lançou-se ao mar. E os outros discípulos foram com o barco (porque não estavam distantes da terra senão quase duzentos côvados), levando a rede cheia de peixes. Logo que desceram para terra, viram ali brasas, e um peixe posto em cima, e pão. Disse-lhes Jesus: Trazei dos peixes que agora apanhastes. Simão Pedro subiu e puxou a rede para terra, cheia de cento e cinquenta e três grandes peixes, e, sendo tantos, não se rompeu a rede. Disse-lhes Jesus: Vinde, jantai. E nenhum dos discípulos ousava perguntar-lhe: Quem és tu? sabendo que era o Senhor. Chegou, pois, Jesus, e tomou o pão, e deu-lho, e, semelhantemente, o peixe. E já era a terceira vez que Jesus se manifestava aos seus discípulos, depois de ter ressuscitado dos mortos. E, depois de terem jantado, disse Jesus a Simão Pedro: Simão, filho de Jonas, amas-me mais do que estes? E ele respondeu: Sim, Senhor; tu sabes que te amo. Disse-lhe: Apascenta os meus cordeiros. Tornou a dizer-lhe segunda vez: Simão, filho de Jonas, amas-me? Disse-lhe: Sim, Senhor; tu sabes que te amo. Disse-lhe: Apascenta as minhas ovelhas. Disse-lhe terceira vez: Simão, filho de Jonas, amas-me? Simão entristeceu-se, por lhe ter dito terceira vez: Amas-me? E disse-lhe: Senhor, tu sabes tudo; tu sabes que eu te amo. Jesus disse-lhe: Apascenta as minhas ovelhas. Na verdade, na verdade te digo, que, quando eras mais moço, te cingias a ti mesmo, e andavas por onde querias; mas, quando já fores velho, estenderás as tuas mãos, e outro te cingirá, e te levará para onde tu não queiras.

E disse isto, significando com que morte havia ele de glorificar a Deus. E, dito isto, disse-lhe: Segue-me”.

 

Jesus estava dizendo a ele que amadurecimento era ir aonde não queremos ir, fazer o que não estamos com vontade.

 

O exemplo de João e Tiago

Vivos demais...

 

“E, subindo Jesus a Jerusalém, chamou de parte os seus doze discípulos, e no caminho disse-lhes: Eis que vamos para Jerusalém, e o Filho do homem será entregue aos príncipes dos sacerdotes, e aos escribas, e condená-lo-ão à morte. E o entregarão aos gentios, para que dele escarneçam, e o açoitem e crucifiquem, e ao terceiro dia ressuscitará. Então se aproximou dele a mãe dos filhos de Zebedeu, com seus filhos, adorando-o, e fazendo-lhe um pedido.

E ele disse-lhe: Que queres? Ela respondeu: Dize que estes meus dois filhos se assentem, um à tua direita e outro à tua esquerda, no teu reino.

Jesus, porém, respondendo, disse: Não sabeis o que pedis; podeis vós beber o cálice que eu hei de beber, e ser batizados com o batismo com que eu sou batizado? Disseram-lhe eles: Podemos”. Mateus 20:17-22

O que estamos buscando de Deus?

 

Ouviremos o ROGO-vos de Deus? Daremos ouvidos ao seu clamor? Ou continuaremos rogando para que Ele entenda nossas desculpas?

 

Pastor Vinícius Portes de Souza

Ministério Internacional Ágape de Contagem

Palavra ministrada em 14/03/2010