O Evangelhobible

 

“Não me envergonho do evangelho, pois é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê; primeiro do judeu, e também do grego. Pois nele se descobre a justiça de Deus de fé em fé, como está escrito: O justo viverá pela fé”.

Romanos 1:16-17

 

O termo Evangelho é de origem grega - evangelion, cujo sentido literal é boas novas. Trata-se da maior e mais importante notícia que já circulou em toda a Terra. Muitos profetas do Antigo Testamento, principalmente Isaías, tiveram a visão do Evangelho e pré-anunciaram estas boas novas, mas foram os anjos que anunciaram, ao som de poderosas trombetas, o início dos fatos que compõem as boas novas. E depois dos anjos, somente aos homens, de boa vontade e convertidos ao Evangelho, foi dada a autorização para anunciá-lo.

 

Homens como o apóstolo Paulo, que ao reconhecerem o significado, a urgência e a importância do Evangelho, também se entregaram até a morte, para fazer chegar as boas novas ao maior número de pessoas que pudesse alcançar.

As pessoas são curiosas e sempre estão em busca das últimas novidades. No entanto, elas perdem tempo e se perdem, ouvindo, lendo e repassando uma infinidade de notícias passageiras, fúteis, baratas e sem nenhuma utilidade. Muitos se ocupam com notícias enganosas, mentirosas, injuriosas e infames divulgadas nos telejornais, na internet, e no boca-a-boca, e deixam de receber o Evangelho, que é a notícia mais preciosa e importante.

 

 

Mas, baseado nestes versos escritos pelo Apóstolo Paulo, podemos anunciar o Evangelho e destacar seis coisas que o Evangelho é, e uma que ele não é:

  1. O evangelho é o poder de Deus
  2. O evangelho é para salvação
  3. O evangelho é para todos
  4. O evangelho é a justiça de Deus
  5. O evangelho é a verdadeira fonte de fé
  6. O evangelho é a fonte de conhecimento e revelação de Deus
  7. O evangelho não é motivo de vergonha

Segue uma breve explicação sobre cada uma destas afirmações sobre o Evangelho.

 

1 - O Evangelho é o poder de Deus

Deus é todo-poderoso e o seu poder se manifesta pelo Evangelho. Então, ao propagar as boas novas, estamos disponibilizando o poder de Deus para as pessoas que nos ouvem.

Cada pessoa que recebe o Evangelho está tomando posse de um poder que vem de Deus e que é maior do que qualquer outro poder. Pelo Evangelho, Deus compartilha conosco o seu poder para que possamos superar a adversidade, exercer autoridade e vencer o mal.

 

2 - O Evangelho é para salvação

O Evangelho tem um propósito muito claro: salvação para quem o recebe. Isto significa que as boas novas do evangelho trazem saúde, paz, prosperidade, segurança, alegria, e vida eterna. Se o Evangelho existe para salvação é porque existem pessoas com necessidade de libertação, cura, e restauração. Ser evangélico é ter uma vida no Evangelho. Quem não tem uma vida no Evangelho, permanece escravo do pecado.

 

3 - O Evangelho é para todos

Em função da aliança de Deus com a nação de Israel, o Evangelho foi anunciado primeiramente para os judeus, mas ele é para todos. O grego, citado por Paulo, representa todas as pessoas no mundo que são gentios, ou seja, não são judeus. O Evangelho, portanto, não privilegia ninguém e não faz nenhuma acepção de pessoas, porque a vontade de Deus é que todos recebam a salvação.

 

4 - O Evangelho é a justiça de Deus

O que mais temos na Terra são injustiças. Atos de injustiça e falhas na nossa justiça acontecem o tempo todo e em todo lugar, pois nossos sistemas são imperfeitos, limitados, manipuláveis e muitas vezes descaradamente malignos.  Deus é o justo juiz e pelo Evangelho Ele manifesta a Sua justiça a todas as pessoas de forma gratuita, apesar do seu alto preço. É preciso entender que a Terra está inserida no Reino de Deus e que todos nós iremos comparecer no tribunal de Deus. Mas, para aqueles que receberam o Evangelho, Deus emitirá a sua sentença: absolvido, inocente.

 

5 - O Evangelho é fonte da verdadeira fé

Todos nós precisamos de fé. Ninguém vive sem fé. Até mesmo um ateu, tem a sua fé. E cada um vive conforme a fé que tem. É possível viver na Terra sem a fé em Deus, mas não será possível viver na eternidade sem esta fé. O Evangelho é a fonte da verdadeira fé, mas, onde o Evangelho não está as pessoas andam numa fé confusa, mística, idólatra, e cheia de crendices e superstições.

A fé que vem do Evangelho traz certeza de vida eterna, certeza de salvação, e certeza da justiça de Deus. É isso o sentido da frase: “O justo viverá pela fé”.

 

6 - O Evangelho é fonte de conhecimento e revelação de Deus

Vivemos na era do conhecimento e da informação que se multiplica o tempo todo de forma exponencial. Nunca se produziu tantos livros, tanta ciência, tanta tecnologia e tantos meios de comunicação como nos últimos anos. Hoje é possível conhecer, de forma precisa e rápida, sobre diversos assuntos, mas em relação a conhecer a Deus (Caráter, princípios, vontade, pensamento), o Evangelho é a luz que ilumina nossa mente.

 

7 - O Evangelho não é motivo de vergonha

Saulo, nascido na cidade de Tarso, foi um homem muito culto, muito estudado, e muito viajado. Ele era judeu e cidadão romano que falava pelo menos três línguas: hebraico, grego e latim. Ele era muito eloqüente, inteligente e poderoso em oratória. Ele foi do partido dos fariseus e discípulo de um dos maiores mestres de Israel, o Rabi Gamaliel. Ele também se tornou um zeloso doutor da lei judaica e um mestre do judaísmo que combateu violentamente a fé em Jesus.

Estevão, o primeiro mártir do cristianismo, morreu aos pés de Saulo, apedrejado cruelmente a mando dele. Para Saulo, os discípulos de Jesus deveriam ser eliminados de Israel, pois ele os considerava inimigos de Deus, deturpadores da Lei e perigosos ignorantes acerca das coisas de Deus. Até o dia em que ele teve uma visão de Jesus, que literalmente o derrubou do cavalo, o deixou cego por três dias, e o confrontou em relação ao Evangelho. Este é o homem que mudou seu nome para Paulo e que agora diz: “Não me envergonho do Evangelho”.

O Evangelho não é motivo de vergonha, pois ele tem transformado muitas pessoas, dando a elas dignidade, paz, comunhão com Deus e a cidadania do Reino dos Céus.

Vergonha é desprezar o Evangelho sem sequer examiná-lo. Vergonha é rejeitá-lo por orgulho. Vergonha é adiar o compromisso com o Evangelho, por ter outras prioridades. Vergonha é não compartilhar o Evangelho com alguém.

O Evangelho está personificado em Jesus. Só existe Evangelho por causa de Jesus. E toda vez que alguém despreza, rejeita, não prioriza, ou não compartilha o Evangelho, está na verdade desprezando Jesus, rejeitando Jesus, deixando de priorizar Jesus, e não está compartilhando Jesus.

 

É por causa de Jesus e do Seu Evangelho que podemos celebrar a Ceia do Senhor (1 Coríntios 11:23-30). A Ceia do Senhor é um memorial da aliança que Jesus faz com toda pessoa que recebe o Evangelho. A essência do Evangelho é a morte sacrificial de Jesus na cruz do calvário. Desse modo, somente deveria celebrar a Ceia do Senhor quem discerniu e recebeu o Evangelho de Jesus. Mas, isto é uma questão para cada um examinar-se a si mesmo, acertar a sua vida com Deus, e ser livre para comer do pão e beber do cálice.

O Evangelho traz consigo as promessas e as bênçãos de Deus, mas ninguém pode viver a plenitude destas promessas e destas bênçãos, sem perseverança no Evangelho.

O Evangelho são as boas novas de Deus. É uma mensagem inteligente e cheia da sabedoria de Deus. Ele nos comunica a graça divina, Sua misericórdia e Seu amor. Mas, somente os pequeninos, os que são humildes, aqueles que são sinceros, é que podem receber o Evangelho.

Glória a Deus!

 

Pastor Juliano Gomes Cunha

Pastor Auxiliar do Ministério Internacional Ágape

Diretor da Escola de Discípulos

Palavra ministrada em 07/03/2010