Lucas 16:19-31
Havia um homem rico, que se vestia de púrpura e de linho finíssimo, e que todos os dias se regalava esplendidamente. Um mendigo chamado Lázaro, coberto de chagas, fora deitado ao seu portão, desejoso de fartar-se com as migalhas que caíam da mesa do rico; e até os cães vinham lamber-lhe as úlceras. Morreu o mendigo, e foi levado pelos anjos para o seio de Abraão; morreu também o rico, e foi sepultado. No Hades, estando em tormentos, levantou os olhos e viu ao longe a Abraão e a Lázaro no seu seio. Clamou: Pai Abraão, tem compaixão de mim! E manda a Lázaro que molhe a ponta do seu dedo, e me refresque a língua, porque estou atormentado nesta chama. Mas Abraão respondeu: Filho, lembra-te que recebeste os teus bens na tua vida, e Lázaro do mesmo modo os males; agora, porém, ele está consolado, e tu em tormentos. Demais, entre nós e vós está firmado um grande abismo, de modo que os que querem passar daqui para vós não podem, nem os de lá passar para nós. Ele replicou: Pai, eu te rogo, então, que o mandes à casa de meu pai (pois tenho cinco irmãos), para os avisar a fim de não suceder virem eles também para este lugar de tormento. Mas Abraão disse: Eles têm Moisés e os profetas; ouçam-nos. Respondeu ele: Não, pai Abraão, mas se alguém for ter com eles dentre os mortos, hão de se arrepender. Replicou-lhe Abraão: Se não ouvem a Moisés e aos profetas, tampouco se deixarão persuadir, ainda que ressuscite alguém dentre os mortos.
 
Jesus mostra aos fariseus a realidade do inferno. Essa história contada por Jesus não tem o objetivo de ensinar que as pessoas ricas vão para o inferno e as pobres para o Céu, mas o Senhor estava falando com aqueles homens que suas riquezas não demonstravam, necessariamente, a aprovação de Deus, como eles pensavam. Antes, deveriam utilizar de sua influência e de suas posses para fazer o bem, “granjear amigos para a eternidade” (conforme Jesus havia citado minutos antes na parábola do mordomo infiel – verso 9).
 
Aproveitando este texto, podemos perceber que o Senhor nos deixou algumas informações muito claras da vida após a morte:
 
  1. Possuiremos um corpo espiritual (o rico levantou seus olhos, usou de sua boca para falar com Abraão, pediu que Lázaro utilizasse de seus dedos para molhar na água...).
  2. Reconheceremos as pessoas que viveram próximas a nós (o rico reconheceu o mendigo e o chamou pelo nome).
  3. Lembraremos de nossos parentes.
  4. Reconheceremos nossos erros e os caminhos errados que tomamos (ele estava aflito porque já sabia que seus irmãos estavam no mesmo caminho que ele e precisavam de arrependimento).
 
O inferno é uma realidade. Jesus falou três vezes do Céu e onze vezes do inferno. Precisamos compreender que nosso destino eterno é definido durante nossa vida na Terra.
 
Compreendendo a Morte Eterna:
 
Apocalipse 20:6
Bem-aventurado e santo aquele que tem parte na primeira ressurreição: sobre este, não tem poder a segunda morte; mas serão sacerdotes de Deus e de Cristo, e reinarão com ele mil anos.
 
Verdades Importantes:
  1. Jesus Cristo (o Filho de Deus) veio a este mundo. Se fez homem, foi um carpinteiro na cidade de Nazaré. Seu objetivo era morrer e, através de seu sacrifício, redimir a humanidade, reconciliando-a com Deus.
  2. Jesus Cristo vai voltar – 2ª vinda. Não virá mais como um homem, mas como Deus.
  3. Ele subiu aos Céus estando no Monte das Oliveiras.
  4. Ele descerá novamente no Monte das Oliveiras.
  5. Entrará em Jerusalém pela Porta Oriental e reinará na Terra com os homens que creram e se entregaram a Ele.

Leia mais:A Segunda Morte